O que é neutrofilos e Porque podem estar altos ou baixos

Os neutrófilos são como pequenos soldados em seu corpo que ajudam na defesa contra infecções. Quando você fica doente ou se machuca, o número desses soldados em seu sangue aumenta. O principal tipo de neutrófilo no sangue é chamado de “neutrófilo segmentado” e é aquele que combate infecções e células danificadas.

A faixa normal de neutrófilos segmentados no sangue pode variar um pouco dependendo de onde o laboratório testa seu sangue. Mas geralmente há entre 1,600 e 8,000 neutrófilos segmentados em uma pequena gota de sangue. Se você tiver mais neutrófilos do que o normal, isso geralmente significa que você tem uma infecção bacteriana ou fúngica, porque esses soldados trabalham duro para proteger seu corpo.

Quando os médicos examinam seu sangue, eles não contam apenas neutrófilos segmentados. Eles também analisam eosinófilos, basófilos e novos neutrófilos chamados “bastonetes” ou “neutrófilos em bastonetes”. Esses novos são como reforços que chegam rapidamente para ajudar a combater infecções e produzir neutrófilos mais segmentados para mantê-lo saudável.

Valores normais de neutrófilos

Em termos do que é considerado normal para os valores de neutrófilos, normalmente observamos a contagem de glóbulos brancos. Uma faixa saudável de neutrófilos fica entre 1.600 e 8.000 neutrófilos por milímetro cúbico (mm³) de sangue. Essa faixa se traduz aproximadamente em cerca de 35% a 66% do total de glóbulos brancos. Portanto, se a contagem de neutrófilos estiver dentro desses números, geralmente é um bom sinal de um sistema imunológico saudável.

Neutrófilos Altos

Quando o número de neutrófilos no sangue é elevado, ocorre uma condição conhecida como “neutrofilia”. A neutrofilia pode resultar de uma variedade de situações e condições subjacentes, e compreender suas causas é importante para o diagnóstico e tratamento adequados. Aqui está uma explicação detalhada de algumas das principais razões pelas quais os neutrófilos podem estar elevados:

1. Infecções :

Em resposta a infecções, o corpo muitas vezes aumenta a produção de neutrófilos para ajudar a combater os patógenos invasores. Esta é uma resposta imunológica natural e é comumente observada em infecções bacterianas e fúngicas.

2. Distúrbios Inflamatórios :

Condições caracterizadas por inflamação crônica, como artrite reumatóide ou doenças inflamatórias intestinais como a doença de Crohn, podem desencadear um aumento nos níveis de neutrófilos.

3. Condições Médicas :

Certas condições médicas como diabetes, uremia (um acúmulo de resíduos no sangue devido à disfunção renal) e eclâmpsia durante a gravidez podem levar à neutrofilia.

4. Necrose hepatica :

Danos ou necrose hepática podem provocar um aumento de neutrófilos. Isto é frequentemente observado em doenças hepáticas graves.

5. Distúrbios sanguíneos :

Condições como leucemia mieloide crônica e síndromes mieloproliferativas podem causar crescimento e atividade anormais de glóbulos brancos, incluindo neutrófilos.

6. Esplenectomia :

A remoção do baço (esplenectomia) pode resultar em um aumento do número de neutrófilos no sangue, uma condição conhecida como policitemia pós-esplenectomia.

7. Anemia hemolítica :

A anemia hemolítica, uma condição em que o corpo destrói seus próprios glóbulos vermelhos, pode levar à neutrofilia como resposta compensatória.

8. Sangramento :

Sangramento significativo, como após uma lesão traumática ou cirurgia, pode causar neutrofilia enquanto o corpo tenta reparar o dano.

9. Trauma Físico :

Queimaduras, choques elétricos e outras lesões físicas podem desencadear um aumento na produção de neutrófilos como parte do processo de cura do corpo.

10. Câncer :

Alguns tipos de câncer, especialmente aqueles associados à medula óssea ou às células sanguíneas, podem resultar em contagens elevadas de neutrófilos.

A neutrofilia também pode ocorrer devido a condições fisiológicas, como em recém-nascidos, durante o parto ou em resposta a episódios de vômitos repetidos, estresse, medo ou atividade física intensa. Nestes casos, a resposta do corpo é geralmente temporária e volta ao normal assim que a causa subjacente é resolvida.

Se for detectada uma contagem elevada de neutrófilos, os médicos poderão realizar mais testes de diagnóstico para identificar a causa exata. A abordagem de tratamento dependerá da identificação e abordagem da condição subjacente ou gatilho responsável pelos níveis elevados de neutrófilos.

Neutrófilos Baixos

Quando há diminuição do número de neutrófilos no sangue, ocorre uma condição conhecida como “neutropenia”. A neutropenia pode ter várias causas, e aqui está uma explicação detalhada de algumas das principais razões para a baixa contagem de neutrófilos:

1. Distúrbios sanguíneos :

A neutropenia pode estar associada a certos distúrbios sanguíneos, incluindo anemia aplástica, anemia megaloblástica (geralmente causada por deficiência de vitamina B12 ou ácido fólico) e anemia por deficiência de ferro. Nessas condições, a medula óssea, responsável pela produção de células sanguíneas, pode não gerar neutrófilos suficientes.

2. Leucemia :

Certos tipos de leucemia, especialmente aqueles que afetam a medula óssea, onde as células sanguíneas são produzidas, podem levar a uma diminuição nos níveis de neutrófilos.

3. Hipotireoidismo :

Uma glândula tireoide hipoativa, conhecida como hipotireoidismo, pode contribuir para a neutropenia. Os hormônios da tireoide desempenham um papel na regulação da produção de células sanguíneas.

4. Uso de medicamentos :

Alguns medicamentos, especialmente quimioterápicos, podem suprimir a produção de neutrófilos na medula óssea. Isso pode resultar em contagens mais baixas de neutrófilos, tornando o indivíduo mais suscetível a infecções.

5. Doenças Autoimunes :

Condições autoimunes como o Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES) podem afetar a capacidade do sistema imunológico de manter uma contagem normal de neutrófilos. O sistema imunológico pode erroneamente atingir e destruir os neutrófilos.

6. Mielofibrose :

A mielofibrose é uma doença caracterizada pela substituição da medula óssea por tecido fibroso. Isto pode dificultar a produção de várias células sanguíneas, incluindo neutrófilos.

7. Cirrose :

A cirrose hepática, uma condição caracterizada por cicatrizes no tecido hepático, pode afetar a produção de células sanguíneas, podendo levar à neutropenia.

Além disso, a neutropenia neonatal pode ocorrer em recém-nascidos, particularmente em casos de infecções virais ou bacterianas graves adquiridas após o nascimento. É importante que os profissionais de saúde monitorem e gerenciem de perto a neutropenia neonatal para proteger a saúde do bebê.

É importante notar que alguns indivíduos, como crianças com síndrome de Down, podem ter contagens de neutrófilos naturalmente mais baixas sem apresentar quaisquer problemas de saúde associados. Nestes casos, os baixos níveis de neutrófilos podem ser uma característica da sua composição genética e não uma preocupação médica.

Quando são identificados níveis baixos de neutrófilos, os profissionais médicos normalmente realizam avaliações adicionais para determinar a causa subjacente. As estratégias de tratamento dependerão da abordagem da condição específica ou do gatilho responsável pela neutropenia e podem envolver medicamentos, mudanças no estilo de vida ou outras intervenções médicas para aumentar a produção de neutrófilos e reduzir o risco de infecções.

Bibliografia

  1. AROSA, Fernando A.; CARDOSO, Elsa M.; PACHECO, Francisco C. Fundamentos de Imunologia. 2 ed. Lisboa: LIDEL, 2012. 37.
  2. CRUVINEL, Wilson de M. et al. Sistema Imunitário – Parte I Fundamentos da imunidade inata com ênfase nos mecanismos moleculares e celulares da resposta inflamatória. Rev Bras Reumatol. Vol 50. 4 ed; 434-461, 2010.
  3. HOFFBRAND, A. V.; MOSS, P. A. H. Fundamentos em Hematologia. 6 ed. Porto Alegre: Artmed, 2013. 110-111.
  4. HINRICHSEN, Sylvia Lemos. Causas de: diagnóstico diferencial. 1 ed. Rio de Janeiro: Medbook, 2014. 328-330; 331-333.

Know More

A evidência científica é caracterizada pela sua natureza empírica, apoiando-se em observações e dados mensuráveis ​​para apoiar ou refutar hipóteses. O método científico, uma abordagem sistemática de investigação, orienta os pesquisadores na formulação de questões, na condução de experimentos e na obtenção de conclusões. Esta metodologia garante que os resultados sejam repetíveis, verificáveis ​​e sujeitos a revisão pelos pares, promovendo a transparência e a fiabilidade.